segunda-feira, 18 de março de 2013

Poema de inverno

E o outono/inverno dando as caras inspirou a Mãe especial:


Não, eu não quero que sofra, quero anjo que sorria,
anjo doce como sempre foi
quero que te fazer feliz
nesse lugar repleto de teus cheiros
teus jeitinhos, teus ursinhos, bonecas
teus olhos grandes e repletos de luz...
te quero intensa e sublime,
te aquecendo em meus abraços.
Posso sim te fazer poesias
mas te gosto assim, simples, como um espaço vazio,
simples feito a nossa música
com seu ritmo distraído...
Te gosto desde sempre e estarei aqui,
sim eu sei que não precisava, não devia,
mas as palavras não morriam nunca dentro de mim
elas fluíam com meu sangue
e depois saltavam boca afora
voando ao teu encontro.
Sei que tinhas os braços abertos e o coração dolorido,
um coração cheio de ais,
mas minhas mãos só queriam te tocar, te curar
desesperadamente te sentir,
e mesmo agora, com o tempo, com tanto, por enquanto
eu te queria poesia, e só poesia
daquelas que trazem lágrimas aos olhos de quem lê
e que buscam a saudade lá dentro da gente...
podia ser rima, podia ser verso
eu só quero te ver feliz e querer é a poesia minha,
nada mais.

Eu devia me controlar... e tento me convencer disso,
mas é tão inútil quanto tentar parar de respirar
e ainda viver.

3 comentários:

  1. Querida, eu nasci sem os braços e também criei um blog http://um-verdadeiro-exemplo-de-vida.blogspot.com/
    Gostaria muito que você desse uma olhadinha nele.
    Eu adorei o seu e estou seguindo. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida, seja vem vinda! estou indo até lá para seguir seu Blog. Um grande bjo meu e da Aninha.

      Excluir
    2. Obrigada. Beijo grande pra Aninha, ela é linda.

      Excluir